Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content

Zoonoses de Ribeirão Pires mapeia Leishmaniose felina

Inquérito epidemiológico visa futuras ações de controle zoonótico

O Centro de Controle de Zoonoses de Ribeirão Pires iniciou nesta semana um mapeamento para diagnóstico de casos de Leishmaniose. Estão sendo realizadas coletas de sangue de 40 gatos, um de cada bairro, para investigação. 

Quando concluídas, as amostras sanguíneas serão levadas ao laboratório Lapavet em Santo André, que realizará a análise e compilação dos dados. O veterinário responsável pelo CCZ da Estância, Paulo Sergio França, detalhou o trabalho que está sendo realizado. “Trata-se de um inquérito epidemiológico. Os casos de Leishmaniose felina são raros e é importante que tenhamos este mapeamento no Município para ativar futuras ações de controle zoonótico”, comentou. 

No mês passado, o CCZ de Ribeirão Pires identificou um caso em um cão doméstico, que foi a óbito horas depois. 
Leishmaniose – A doença é transmitida pelo “mosquito palha” (flebotomíneo) e pode afetar humanos e animais domésticos. Os sintomas em humanos se manifestam com febre, lesão na pele e o crescimento excessivo das unhas, além de mucosa no nariz, boca e garganta. No animal, se manifesta também através de lesão de pele ao redor dos olhos (hiperqueratose) e crescimento excessivo do fígado, baço e linfonodos.

Coleta de sangue é realizada pela equipe do CCZ
Serão ao todo 40 amostras coletadas, de felinos de diferentes localidades da cidade
Sangue, já centrifugado, será levado ao laboratório Lapavet para diagnóstico de Leishmaniose
Skip to content