Notícias


Voltar

14/05/2018Alunos de Ribeirão participam de projeto do Comitê Paralímpico Brasileiro

Estudantes da cidade recebem treinamento em até oito modalidades paralímpicas

Nesta segunda-feira, dia 14, alunos da rede municipal de ensino de Ribeirão Pires participaram de cerimônia que marcou o lançamento oficial do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). O evento, realizado no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, contou com a participação do presidente do Comitê, Mizael Conrado, do Ministro do Esporte, Leandro Cruz Fróes da Silva, de Limara Battistella, secretária estadual do Direito da Pessoa com Deficiência, além do prefeito de Ribeirão Pires, Adler Teixeira – Kiko, do vice-prefeito Gabriel Roncon, da primeira-dama da cidade, Flávia Dotto, da secretária de Educação, Inclusão Cultura e Tecnologia, Flávia Banwart, entre outras autoridades.

A Prefeitura da Estância Turística de Ribeirão Pires, por meio da Secretaria de Educação, Inclusão, Cultura e Tecnologia, e o CPB firmaram parceria inédita que proporciona a alunos deficientes a possibilidade de participar do programa “Centro de Formação Esportiva – Esportes Paralímpicos”.

A ação tem como objetivo promover a iniciação de crianças com deficiência física, visual e intelectual - na faixa etária de 10 a 17 anos - em oito modalidades paralímpicas. Ribeirão Pires conta com nove crianças e jovens já cadastrados no programa. O CPB disponibilizou, no total, 70 vagas para alunos com deficiência da cidade treinarem no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. 

Os estudantes da rede municipal que já aceitaram o convite estão começando a participar dos treinos. Com transporte gratuito e lanche, além de uniforme específico para a prática esportiva, os estudantes recebem acompanhamento especializado, que seleciona atletas para o aperfeiçoamento de suas aptidões.

Silvana Maria Silva, mãe de Felipe Francisco, aluno da Escola Municipal Engenheiro Carlos Rohm e um dos participantes do programa, aprovou a iniciativa. “A participação de meu filho já está mudando sua vida, assim como a de outras crianças. Ele está mais animado, feliz, se sentindo importante. Acredito que (o programa) tenha resgatado a auto-estima dele”, afirmou Silvana. Felipe, 12 anos, que é portador da Síndrome de Down, treina tênis de mesa.

“É com grande alegria que acompanhamos o lançamento desta belíssima iniciativa do Comitê Paralímpico Brasileiro que abre às nossas crianças e jovens um novo horizonte de possibilidades e de inclusão. A deficiência, seja física, visual ou intelectual, não é impedimento para a prática esportiva. Pelo contrário. Atletas no Brasil e em todo o mundo estão provando o potencial que cada um tem em si. A força de superar barreiras e inspirar todos que estão a nossa volta”, afirmou o prefeito Kiko. 

O programa do Centro de Treinamento Paralímpico terá nove meses de duração. Nesse período, os estudantes participam de treino duas vezes por semana no Centro. Todos os alunos, de acordo com suas deficiências, estão fazendo a experimentação dos esportes paralímpicos oficializados para cada tipo de deficiência. As modalidades são: atletismo, bocha, goalball, judô, natação, tênis de mesa, vôlei sentado e futebol de 5.

O programa é quase em sua totalidade financiado com recursos próprios do Comitê Paralímpico Brasileiro, mas conta com a parceria das prefeituras municipais de Diadema, São Bernardo, Santo André, Ribeirão Pires, Mauá, Rio Grande da Serra, São Paulo, Mairinque e com o Instituto Padre Chico, instituição paulistana especializada em ensino para deficientes visuais. 

 



Prefeitura Municipal de Ribeirão Pires