Segurança de Ribeirão Pires é intensificada com operações conjuntas


Criado em 05/08/2015

Guarda Civil Municipal, Polícia Militar e Polícia Civil trabalham realizando ações em bairros com bloqueios nas principais vias que cortam o município

No último dia 22, a Guarda Civil de Ribeirão Pires, em parceria com as Polícias Civil e Militar, realizou operação na Avenida Benjamin Batista Seresoli, no bairro Santa Clara, onde 16 veículos e cinco motocicletas foram autuadas e recolhidas para o Pátio Municipal, além de em um dos casos o motorista ser autuado por porte de entorpecentes. Esse tipo de bloqueio – ou blitz, como são conhecidas – fazem parte das ações conjuntas que intensificam a segurança na cidade.

Além deste ponto, o bairro da Vila Gomes e Quarta Divisão também receberam bloqueios de segurança, parte dessa ação conjunta organizada em parceria entre as polícias e a Secretaria de Segurança Pública. O objetivo é ampliar a segurança ostensiva aos bairros e garantir a força tarefa para beneficiar os moradores.

No dia 28, terça-feira, cerca de 30 policiais militares estavam presentes em frente ao complexo Ayrton Senna localizado na Av. Brasil, 153, junto à 10 GCM’s, representantes da Força Tática e Canil para concentração e apresentação da segurança e ponto de partida da operação nomeada como “Força Total”. A autuação foi iniciada pelos bairros do Alvorada, Vila Mortari e Bela Vista com aproximadamente 120 oficiais do 30º Batalhão da Polícia Militar de Ribeirão Pires, Mauá e Rio Grande da Serra. A ronda ostensiva atuou durante cinco horas para captura de veículos suspeitos. O evento contou com a presença do secretário de Segurança Pública, Tales Aramis e o Tenente Coronel Everton, comandante da Polícia Militar das três cidades do ABC que deram comando de início às operações.

Segundo a capitã da Polícia Militar, Graziela Leandro Costa, a mega operação conjunta da Polícia Militar e Civil tem intuito de abordar suspeitos e aumentar a segurança da região visando o combate a criminalidade em geral. “Cada viatura tem missões específicas, mas, basicamente vamos fazer abordagens nas principais avenidas, bairros e viadutos que são utilizados como rotas de fuga. Também queremos aumentar a sensação de segurança de forma que o cidadão sinta-se protegido”, finaliza.