Inscrições abertas: 13ª Semana Nacional de Museus


Criado em 11/05/2015

Instituição municipal participará com programação diversificada entre os dias 18 e 24 de maio com palestras e visitas

O Museu Histórico Municipal Família Pires participará da 13ª Semana Nacional de Museus que acontecerá entre os dias 18 e 23 de maio com programação diversificada e de qualidade. Para a edição de 2015, o tema escolhido pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), foi Museus para uma sociedade sustentável e contará com 1738 entidades, 4570 eventos e 609 municípios em todo o Brasil. Ribeirão Pires participará com exposições e palestras com especialistas da cidade e região.

A programação contará com palestras e visitação escolar entre os dias 18 e 24 de maio, que acontecerão no Museu Histórico Municipal Família Pires localizado no Centro de Exposições e História de Ribeirão Pires (Rua Miguel Prisco, 286 – Centro). As inscrições são limitadas e devem ser feitas pelo site da Prefeitura até a data de cada palestra (relação abaixo). A Secretaria de Cultura e Turismo emitirá carta de participação para quem precisar comprovar presença.

“O museu é um espaço vivo de fruição cultural, portanto, nada melhor do que oferecer uma programação de qualidade à população e, neste sentido, temos recebido total apoio do Prefeito. Já fizemos adequações no prédio para melhor atender os visitantes e pretendemos agora receber visitação de escolas para ampliar ainda mais o acesso à cultura”, afirmou o secretário de Cultura e Turismo, Cassiano Filho.

Desde que foi reinaugurado, em 23 de dezembro de 2014, o Núcleo de Gestão Cultural da Secretaria de Cultura e Turismo vem organizando a gestão do Museu Família Pires. O primeiro passo foi proporcionar um espaço mais amplo para os visitantes, recuperar a seção de objetos e a seção de difusão. Ao mesmo tempo aconteceu a reativação da Pinacoteca Municipal Guilherme de Carvalho Dias, fechada desde o começo da década de 1990, com obras de artistas da cidade e de outras regiões. Hoje, o Museu conta também com uma seção arqueológica e os primeiros objetos são tijolos, pregos e placas de granito provenientes da Igreja do Pilar. O segundo passo foi o alinhamento da gestão local com as diretrizes do IBRAM e do Ministério da Cultura, que culminou com a participação da cidade na Semana Nacional de Museus, dando visibilidade à instituição em uma programação de dimensão nacional.

"É uma grande conquista para a cidade. Em 2013, encontramos o acervo em uma pequena sala e não podíamos nem chamar aquele espaço de museu, fora o que se danificou quando ficou jogado na Fábrica de Sal (Edifício Dom Helder Câmara). Agora a realidade é bem diferente: a população está visitando o novo Museu e elogiando as ações do governo na recuperação da memória da cidade. Em quatro meses de inauguração, estamos perto de chegar à marca de 2.500 visitantes. Nosso Museu voltou à vida e já está ganhando respeito das cidades vizinhas.", declarou o secretário-adjunto de Cultura e Turismo, Marcílio Duarte.

Para os próximos meses, a Prefeitura pretende lançar o site oficial do Museu Família Pires, que já está em fase final de programação. A plataforma online disponibilizará o acervo da pinacoteca, da hemeroteca e os acervos litográfico, documental e iconográfico em versão digital. Também, em fase de conclusão, está a sua regulamentação, que passará a ter uma nova lei e um regimento interno

Diversidade Cultural será destaque

A programação do Museu dedicará também uma palestra para as comemorações do Dia Internacional da Diversidade Cultural, evento realizado anualmente pela UNESCO no dia 21 de maio. A palestra Diversidade Cultural e Sustentabilidade que ocorrerá no mesmo dia às 19h, discutirá um pouco a importância desse dia celebrado no mundo todo.

“O conceito sobre cultura é polissêmico e está longe de ser conclusivo. Entretanto, existe no mundo de hoje certo consenso de que a cultura tem como característica principal a diversidade de expressões, em oposição a um pensamento ainda dominante no Brasil de que cultura é apenas o campo das belas-artes. Por isso a UNESCO se esforça em convencer os governos e a sociedade de que a diversidade cultural cria as condições para uma sociedade mais aberta ao diálogo e essa abertura impulsiona o desenvolvimento sustentável. Aqui em Ribeirão Pires não é diferente, a cultura deve ser encarada como o principal combustível para o desenvolvimento, principalmente com relação ao turismo. Por isso estamos tentando fazer a nossa parte no reconhecimento da diversidade cultural enquanto direito e com isso garantiremos também o surgimento de empreendimentos criativos e, quem sabe, um novo mercado ou uma economia criativa local”, declarou Marcílio.

A Semana de Museus também vai trazer palestras sobre a cultura indígena, com a participação do cacique historiador indígena Tukumbó Dyieguaká Robson Miguel, da tribo Itaoca, e do museólogo e pesquisador Júlio Abe Wakahara. A palestra vai abordar a chegada do índio ao planalto paulista no século XVI, as trilhas de Peabiru e questionará algumas verdades oficiais dos livros de história. Já a cultura afro-brasileira e questões de gênero também terão espaço em palestra que discutirá a violência contra a mulher negra nas periferias brasileiras, em um debate que promete uma boa reflexão sobre o assunto. A palestra contará com a participação da professora Elza Silva Carlos e do professor Dennis de Oliveira, do coletivo antirracista Quilombação.

Museu a Céu Aberto

A Prefeitura aproveita para divulgar que já está em fase final a criação do Museu Aberto de Arte Contemporânea (MAAC), que dará lugar ao Museu a Céu Aberto. O projeto prevê a regulamentação do equipamento por lei e a criação de um regimento interno, além da manutenção, conservação, catalogação do acervo e política de aquisição e descarte de peças. Criado em 2011, o equipamento não tinha legislação, como recomenda o Estatuto Nacional de Museus, portanto, não poderia ser considerado uma instituição museológica.

“O Estatuto é bem claro: sem lei não existe museu público. Tínhamos um museu, mas apenas no nome. Fizemos o levantamento de todas as obras expostas ao ar livre na cidade, além de murais e instalações, e muitas delas precisam de identificação museológica. Algumas estão com pequenas avarias e outras precisam ser reformadas, lavadas ou pintadas novamente. Além disso, nem tudo tem patrimônio, o que dificulta saber se foi comprado ou doado. Com a criação do MAAC, teremos um equipamento definitivamente legalizado e alinhado às políticas nacionais de museu, permitindo que as obras cumpram função artística e paisagística. Sem a lei, não conseguimos fazer gestão para ampliar e melhorar o acervo. Queremos mudar a percepção do Museu a Céu Aberto, definindo as galerias públicas e identificando as obras por coleção, estilo e técnica, além de cadastrá-lo no Ministério da Cultura. Só assim o munícipe entenderá a função deste museu na cidade”, afirmou o secretário-adjunto de Cultura e Turismo, Marcílio Duarte.

Serviço

13ª Semana Nacional de Museus

Quando: De 18 a 24 de maio

Onde: Museu Histórico Municipal Família Pires

Endereço: Centro de Exposições e História de Ribeirão Pires

Rua Miguel Prisco, 286 – Centro – Ribeirão Pires

museu@ribeiraopires.sp.gov.br

4822-4724

INSCRIÇÕES: https://docs.google.com/forms/d/1thiuhgTQPER9p55GfkN0jXdoSEuRvBWZzDmTDZyvnSU/viewform

PROGRAMAÇÃO

Palestras

18/05 – Segunda-feira

19h - O papel dos museus e a preservação da memória

Palestra com Nilo de Almeida (SISEM/Museu de Santo André)

19/05 – Terça-feira

10h - Inauguração do Centro de Exposições e História de Ribeirão Pires

Presença do Secretário de Turismo de São Paulo, Prefeito Saulo Benevides, secretários, assessores e vereadores

19h - Cultura afro-brasileira e os movimentos antirracistas

Com Elza da Silva Carlos (FIRP/UNIESP) e Dennis de Oliveira (USP/Quilombação)

21/05 – Quinta-feira

15h - O índio no Planalto Paulista – novas perspectivas

Com Cacique Tukumbó Dyieguacá Robson Miguel (IHGSP) e Júlio Abe Wakahara (IHGSP)

19h - Diversidade cultural e sustentabilidade – diálogo e desenvolvimento

Com Marcílio Duarte

23/05 – Sábado

15h - Museu Família Pires – a construção de uma história

Mesa em homenagem a Roberto Bottacin Moreira

Octavio David Filho e Pedro Manuel Cordeiro (Associação Pró-Memória de Ribeirão Pires), Guadalupe Rocca (ex-diretora de Cultura) e João Antônio Ramos (ex-gerente de Cultura).

19h - Sarau da Estância

Recital de poesia, crônicas, causos, músicas e conversas com alunos e professores da Escola Municipal de Teatro Arquimedes Ribeiro

---

EXPOSIÇÕES PARA O PÚBLICO EM GERAL

De terça a sexta, das 9h às 17h

Sábados e domingos, das 10 às 16h

Exposição “Olarias no Tempo”

Espaço reservado para o visitante conhecer os diversos tipos de tijolos de olaria, ferramentas, moldes e as técnicas de construção civil que já caíram em desuso.

Museu Histórico Municipal Família Pires - Seção de objetos

Organização e curadoria: Madalena Oliveira

Colaboração: Marlene Sipiandorelo (ex-funcionária do Museu)

Exposição “O passado na vida cotidiana de Ribeirão Pires”

Ampla coleção para o visitante conhecer os mais variados objetos que compunham o ambiente doméstico e a vida cotidiana dos antigos moradores de Ribeirão Pires. Esta galeria também proporciona um passeio pelas antigas tecnologias, como telefones, televisores, vitrolas, discos de acetato e máquinas datilográficas - todas em desuso.

Museu Histórico Municipal Família Pires - Seção de objetos

Organização: Marcílio Duarte e Madalena Oliveira

Monitoria: Claudete Soares

Exposição “Reminiscências – Paisagens históricas de Ribeirão Pires”

Ampla exposição de quadros de artistas da cidade que, no estilo romântico acadêmico, apresentam paisagens singelas e bucólicas de uma cidade que, em partes, deixou de existir.

Pinacoteca Municipal Guilherme de Carvalho Dias - Seção de quadros

Organização e curadoria: Lilian Zampol

Exposição “Ribeirão Pires no realismo fantástico de Paulo Acencio”

Galeria de quadros com paisagens históricas do pintor Paulo Acencio, no seu estilo característico.

Pinacoteca Municipal Guilherme de Carvalho Dias - Seção de quadros

Organização e curadoria: Lilian Zampol

PARA ESCOLAS:

Exposição “Ribeirão Histórica”

Coleção de painéis desenvolvidos pelo museólogo e pesquisador Julio Abe Wakahara na ocasião dos 50 anos de Ribeirão Pires em 2004. Os painéis voltam a ser expostos ao público após cinco anos.

Museu Histórico Municipal Família Pires - Seção de difusão

Exposição “Galeria de autoridades e símbolos municipais”

Coleção de quadros de autoridades que ocuparam o cargo de Chefe do Executivo Municipal.

Pinacoteca Municipal Guilherme de Carvalho Dias - Seção de quadros

Entrega da reforma do obelisco em homenagem à FEB

2015: FEB e os 70 Anos da vitória contra os nazistas

Reforma do obelisco construído pelo município em homenagem aos pracinhas das Forças Expedicionárias Brasileiras (FEB) que venceram as forças nazistas em 1945, ao norte da Itália. O obelisco passou por duas restaurações e comemora a vitória de Monte Castelo, em 21 de fevereiro de 1945, e Montese, em 15 de abril do mesmo ano.

Local: Praça dos Expedicionários

Ao lado da Praça Mitio Tanaka (Jardim Oriental), do Paço Municipal e do Centro de Exposições e História. Visitação permanente.

PROGRAMA BOULEVARD DAS ARTES – EDIÇÃO 2015:

18 a 24/05

Exposição de quadros da Escola Municipal de Artes Ítalo Turriani

Feira de quadros de artistas da cidade

Jardim do Centro de Exposições e História de Ribeirão Pires