Caixa Econômica confirma recursos para obras do PAC estão garantidos


Criado em 17/04/2015

Em reunião com o vice-presidente da Caixa, o prefeito Saulo Benevides confirmou que não haverá interrupções nas obras de mobilidade anunciadas em parceria com o Governo Federal

O prefeito de Ribeirão Pires, Saulo Benevides, participou de um encontro com o vice-presidente da Caixa Econômica Federal, José Carlos Medaglia Filho, nesta sexta-feira (17), para falar sobre a situação dos repasses de recursos federais destinados a obras de mobilidade. O encontro aconteceu no Consórcio Intermunicipal Grande ABC e estavam presentes também os prefeitos dos demais municípios do ABC.

A reunião é um desdobramento do encontro ocorrido no último dia 10, com a presidente da CEF, Miriam Belchior, na sede da instituição em São Paulo, quando os chefes dos Executivos iniciaram entendimentos para garantir que os projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC Mobilidade) para a região do ABC, articulados pelo Consórcio, não sofram interrupção.

O prefeito de Ribeirão Pires, Saulo Benevides (PMDB), aproveitou a reunião para discutir sobre os projetos do município e cobrar mais agilidade do Governo Federal. "Na semana passada verificamos que todos os projetos do PAC de 2014, a grande maioria do ABC paulista, não serão comprometidos com o decreto. Teremos uma agenda com os Ministérios do Planejamento e das Cidades para que possamos aprofundar essa questão e obter garantias de forma que não tenhamos perdas em projetos da região, uma vez que a Caixa é apenas o agente financeiro", explicou o prefeito.

Na reunião do dia 10, a preocupação dos chefes dos Executivos dizia respeito a publicação do decreto federal 8.407, de 24/02/15, prevendo o bloqueio de despesas inscritas em restos a pagar não processados, cuja execução ultrapassasse o mês de junho. Após esclarecimentos da presidente e de sua equipe técnica, ficou definido que para os projetos ainda não executados, mas previstos ainda para este ano, será informada a data de início das obras.

Segundo os representantes da Caixa Econômica e do Governo Federal, Ribeirão Pires não sofrerá paralização ou suspensão de contratos de quaisquer das obras anunciadas.