Geração de emprego em Ribeirão cresce 14,5% no primeiro semestre


Criado em 25/07/2013

Setor de Serviços lidera ranking do Caged. Ações da Prefeitura incentivam vinda de novas empresas e ampliação das já instaladas na cidade

A Estância Turística de Ribeirão Pires registrou saldo positivo na criação de empregos formais no 1º semestre deste ano. Levantamento do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Emprego, mostra que nos seis primeiros meses do ano foram geradas 496 vagas de trabalho, a maior parte delas na área de serviços, com 202 postos criados. O número representa alta de 14,5% na geração de vagas formais em relação ao mesmo período de 2012, quando foram gerados 424 postos.

A cidade mantém desde janeiro deste ano ações para garantir, em médio e longo prazo, a criação de novos postos de trabalho e o crescimento verificado em Ribeirão vai na contra-mão dos dados do IBGE, que divulgou alta de 6% na taxa de desemprego no último mês no país. "Cada um faz sua lição de casa. Estamos tomando várias ações para atrais mais empresas de serviços. Ao mesmo tempo, buscamos dar condições para que as empresas já instaladas na cidade possam crescer. E pelos números acima, vemos que estamos no caminho certo", opinou o prefeito Saulo Benevides.

Para garantir a criação de novos postos de trabalho em Ribeirão Pires, a Prefeitura mantém, desde o início do ano, política de aproximação com o empresariado. Divulgando a potencial econômico da cidade, as vantagens logísticas e a qualidade de vida, além de ampliar os incentivos fiscais aos investidores, novos negócios estão sendo atraídos à Estância.

Somente neste mês, duas empresas, Advansat e Steel Cozinhas, confirmaram instalação de planta produtiva em Ribeirão Pires. Juntas, as empresas empregarão 200 trabalhadores. No total, doze empresas de diversos segmentos compraram ou alugaram áreas na cidade. ?Existem ainda outras empresas que já possuíam terrenos em Ribeirão e, durante reuniões que tivemos, disseram estar se preparando para a instalação ou ampliação do parque fabril aqui no município?, afirmou o prefeito. A previsão do município é criar 6 mil novos postos de trabalho nos próximos 3 anos e meio.

O apoio aos trabalhadores também contribui para ampliar as chances dos moradores em busca de emprego ingressarem no mercado de trabalho. No primeiro semestre deste ano, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico da cidade, o Posto de Atendimento ao Trabalhador de Ribeirão Pires realizou 12.399 intermediações de mão de obra e captou 8.669 vagas de emprego.

Cidade concede incentivos fiscais e diminui prazos para emissão de certidões

Como parte do projeto de atrair novas empresas para Ribeirão Pires, o prefeito Saulo Benevides já determinou algumas ações. Duas das principais tratam da redução no tempo de emissões de certidões e a nova lei de incentivos fiscais.

Entre as mudanças no atendimento aos empresários, que já podem ser observadas, está a desburocratização dos procedimentos para construção, ampliação e abertura de negócios. O tempo para emitir a certidão de uso de solo, por exemplo, foi reduzido. O processo que antes levava até 30 dias para ser concluído hoje pode ser feito em até 24h.

O prazo para a liberação de alvará de construção também caiu. Antes, o processo demorava em média um ano para ser finalizado. Hoje pode ser feito em até três meses. Essa redução de tempo foi permitida com a mudança do trâmite de aprovação. Plantas de até 10 mil metros quadrados podem ser liberadas pela Prefeitura. Até setembro de 2012, o processo dependia de autorização da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo).

Incentivos fiscais

Ribeirão Pires possui legislação para atrair novos investimentos e estimular a ampliação de negócios já instalados na cidade, como forma de aumentar a arrecadação municipal e garantir geração de emprego para a população.

Para novas empresas ou para a ampliação de empresas já instaladas, a cidade possui legislação que permite a isenção de IPTU pelo período de 10 a 12 anos, bem como a isenção de ITBI e taxas municipais, como ISS da construção do empreendimento.

Para prestadores de serviço, a Prefeitura ampliou os incentivos fiscais para empresas prestadoras de serviços em alguns segmentos em que a arrecadação é nula, por não haver o tipo de empreendimento na cidade, ou que muito baixa.

Aprovado pela Câmara Municipal, o projeto do Executivo reduz a base de cálculo do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) em 41 tipos de serviços, desde informática, saúde, administração de cartão de crédito, entre outros.

Atrair novos tipos de empresas ou mesmo ampliar a oferta de um mesmo tipo de serviço cria competitividade e permite crescimento na arrecadação do município, que no primeiro trimestre do ano ficou abaixo do esperado. Alguns serviços, como os referentes aos planos de saúde, tiveram redução da base de cálculo utilizada sobre o valor bruto do faturamento de 42% para 12,5%. Com isso, considerando a alíquota de 2%, esses serviços tiveram taxa reduzida de 0,84% para 0,25%. Não temos hoje na cidade empresa prestando este tipo de serviço, portanto o incentivo, além de ampliar a arrecadação, facilitará o dia a dia dos moradores. (25/07/2013)