Prefeitura de Ribeirão Pires cria Comitê Municipal da Crise Hídrica


Criado em 16/03/2015

Secretarias do município participam da reunião de formação do Comitê da Crise Hídrica.

O Governo Estadual criou no dia 04 de fevereiro, a Comissão de Crise Hídrica, com o objetivo de discutir e informar sobre medidas a serem tomadas com a finalidade de amenizar os impactos com a falta de água da Grande São Paulo. Dentro deste contexto a Secretaria do Meio Ambiente e Saneamento Básico de Ribeirão Pires, através do Secretário Gerson dos Santos Goulart, criou o Comitê Municipal de Crise Hídrica, um grupo de discussão com membros de diversas secretarias da administração e da sociedade civil representada pela OAB, para buscar alternativas ao enfrentamento da crise.

Compareceram à reunião, representantes de algumas secretarias, entre elas a Secretaria de Comunicação e Secretaria de Segurança Pública, além da Secretaria de Meio Ambiente, responsável pela criação do comitê. Também compareceram representantes da Defesa Civil do município, do Gabinete da Prefeitura e membros da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

Segundo o governador Geraldo Alckmin, o governo vem tomando medidas de redução no consumo de água, através do incentivo de bônus e a adesão da instalação da válvula redutora de pressão durante a madrugada, para a diminuição de gastos hídricos.

Na primeira reunião para formação do Comitê da Crise Hídrica no município, que aconteceu na segunda feira (2), foi deliberada a criação do grupo visando desenvolver trabalhos de educação ambiental e estabelecidas algumas ações para início dos trabalhos. Uma das primeiras ações é solicitar junto à SABESP o envio de dados comparativos de consumo de água antes e pós crise para uma noção da participação/envolvimento da população.

O comitê abordou também alguns assuntos indispensáveis como a real situação do reservatório da Cantareira, que vem sofrendo uma grande defasagem por consequência da escassez de chuvas e a proposta do Governo do Estado de São Paulo de realizar a transposição de águas da represa Billings, que hoje atua com 92,4% de sua capacidade de reserva, para o Alto do Tietê e para o reservatório da Cantareira, que atingiu 13,3% de sua capacidade, com a previsão de bombeamento de águas do Rio Pinheiros para manter o nível da represa.

Para compensar a baixa no reservatório, esta é uma saída que o Governo Estadual encontrou para abastecer a região metropolitana, onde a situação poderá agravar-se no final de março quando a quantidade de chuvas deve diminuir consideravelmente no estado. Contudo o projeto está sendo avaliado com cautela, devido as águas do Rio Pinheiros terem um nível de poluição maior que as águas da Represa Billings, o que pode causar consequências ambientais que exigem cuidados.

A próxima reunião do comitê está marcada para a segunda-feira, 23, onde são esperados representantes das demais secretarias do município, e também um representante da SABESP para esclarecer dúvidas e dar detalhes de possíveis projetos para amenizar a crise dos reservatórios.

Todas as ações planejadas pelo Comitê Municipal, visam levar à população em geral, a melhor forma de atravessar a crise hídrica.

 

Legenda da foto:

Em pé: Osiel Cumpian Silva, Marcos Aparecido dos Santos,Tarcísio Schavinske, Gerson dos Santos Goulart, Milton Bicudo, Hamilton de Oliveira, Leão Cláudio Deberaldini e Valmir Pereira de Souza. (Sentadas): Vera Aparecida Cortez, Maria de Lourdes Castro e Karin Kelly da Silva.