Ribeirão Pires terá R$ 350 mil a mais por ano para custeio da Atenção Básica


Criado em 17/07/2013

Com aumento do teto de repasses anunciado pelo Governo Federal, Prefeitura terá auxílio de R$ 2,6 milhões para manter unidades básicas de saúde da rede

A Prefeitura de Ribeirão Pires receberá reforço do Governo Federal de auxilio para o custeio das unidades da Atenção Básica de saúde. Na última semana, o Ministério da Saúde publicou portaria liberando os recursos, que serão retroativos a maio deste ano. O município passará a receber repasse de cerca de R$ 220 mil mensais para as nove Unidades de Saúde da Família e Unidades Básicas de Saúde da rede. Por ano, a cidade contará com R$ 2,6 milhões em recursos federais para ajudar a cidade a manter os equipamentos de atendimento nos bairros.

O aumento do teto de repasses para a Atenção Básica da Estância representará R$ 350 mil a mais por ano. O recurso enviado pela União é utilizado para auxiliar a Prefeitura no pagamento de despesas das unidades, entre eles compra de parte dos insumos utilizados.

Somente no primeiro quadrimestre de 2013, as nove unidades de saúde atenderam 26.641 pacientes em clínica médica, ginecologia, pediatria e psicologia, realizou mais de 44 mil procedimentos de enfermagem, entre outros serviços disponíveis.

Ribeirão Pires terá R$ 1 milhão para construção de unidades de saúde

Moradores da Quarta Divisão e Jardim Valentina serão contemplados com as novas unidades, que atenderão no modelo PSF

A Estância Turística de Ribeirão Pires receberá mais de R$ 1 milhão para a construção de duas Unidades Básicas de Saúde, no Jardim Valentina e na Quarta Divisão. O Ministério da Saúde habilitou os projetos cadastrados pela Prefeitura em março deste ano para construção das unidades. Serão investidos R$ 512 mil para cada uma delas.

Atualmente, os bairros possuem unidades de saúde instaladas em prédios locados. Além de oferecer estrutura mais confortável e moderna para os atendimentos aos pacientes e para o trabalho dos profissionais da área, a Prefeitura irá economizar cerca de R$ 110 mil anualmente.

As propostas de construção de unidades de saúde contempladas pelo Ministério da Saúde se referem à construção de UBS porte 2, cada uma composta por 02 equipes de saúde da família, com capacidade para atender até 6 mil pessoas por mês. (17/07/2013)