Prefeitura de Ribeirão Pires abre espaço para discussão sobre aumento das passagens


Criado em 20/01/2015

Grupo de manifestantes foi recebido pelo prefeito em seu gabinete, que abriu diálogo em prol de benefícios para trabalhadores e estudantes da cidade

O Prefeito Saulo Benevides recebeu na manhã desta terça-feira, dia 20 de janeiro, representantes do Comitê Unificado Contra o Aumento das Passagens no ABCDMRR. O grupo havia organizado um protesto pacífico no dia anterior, que culminou com uma audiência com o Prefeito.

Durante o encontro, os representantes do Comitê apresentaram uma série de reivindicações e questionamentos. Por mais de uma hora os assuntos relacionados à qualidade dos transportes, o preço das passagens, o Passe Livre para estudantes, integração entre modais e até o mapa geopolítico do município entraram na pauta.

"A Prefeitura não é contra a redução da passagem. Levantamos essa bandeira e estamos abertos a discutir o que for necessário para o benefício da população", afirmou o prefeito Saulo Benevides.

Para o militante José de Souza Lima, Ribeirão Pires não deveria participar do programa de unificação tarifária existente na região por conta das especificidades de cada município. "Temos nossas necessidades, que são diferentes dos demais municípios".

O prefeito esclareceu que o plano de aumento de passagem foi estabelecido após estudo e diálogo entre as sete cidades que compõem o Grande ABC por meio do Consórcio Intermunicipal. "Claro que se houver necessidade de ajustes podemos discutir", apontou.

Ao término da reunião alguns pontos principais foram estabelecidos. A Prefeitura se comprometeu em honrar cada um dos pontos, o que dará início a uma série de discussões de médio e longo prazo a respeito do assunto. São estes os pontos:

• Conceder ao Comitê uma planilha de custos do transporte, assim como uma cópia do contrato com a empresa prestadora de serviço na cidade;

• promover audiência pública para discutir a viabilidade de um plebiscito sobre o isolamento geográfico do Parque Andreense, hoje um bairro isolado pertencente a Santo André;

• apoiar a criação do Conselho Popular de Transportes;

• apresentar estudo visando subsídio ou revogação no preço da passagem;

• apresentar estudo explicando detalhadamente a justificativa para o preço da passagem ter subido para R$ 3,50;

• instituir o Passe Livre Estudantil por meio de lei municipal;

• solicitar, via ofício, uma reunião extraordinária no Consórcio Intermunicipal do ABC envolvendo os prefeitos das sete cidades, empresários do ramo de transporte e integrantes do Comitê Unificado Contra o Aumento das Passagens.

A Prefeitura garantiu priorizar a discussão e enviará ao departamento jurídico a lista de solicitações para estudo e futuros encaminhamentos.