Ribeirão Pires alerta moradores sobre luta contra a dengue


Criado em 15/12/2014

Com o aumento dos níveis de chuva em Ribeirão Pires, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde e Higiene, alerta os moradores sobre a importância de eliminar possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e da febre Chikungunya.

“Moradores e Poder Público precisam caminhar juntos nas ações de combate à dengue e à febre Chikungunya, eliminando possíveis focos do mosquito transmissor. Não foram, até o momento, registrados casos positivos das doenças em Ribeirão Pires. Precisamos estar atentos e redobrar os cuidados no período de chuva para manter nossa cidade livre das doenças. Juntos somos mais fortes nessa luta”, afirmou a secretária de Saúde e Higiene da Estância, Lair Moura.

Em 2014, não foram registrados casos positivos de dengue contraídos em Ribeirão Pires. Os 25 casos da doença registrados pelo município foram contraídos em outras cidades.

Faça parte da prevenção à dengue:

A melhor forma de prevenir casos da dengue e da febre Chikungunya, transmitidas pelo Aedes aegypti é combater os focos do mosquito – recipientes e locais onde pode haver o acúmulo de água. Para isso, alguns cuidados são importantes:

- Mantenha caixas d´água devidamente fechadas;

- Coloque areia até a borda nos pratos dos vasinhos de plantas;

- Guarde garrafas e latinhas sempre de cabeça para baixo;

- Remova folhas, galhos e tudo que possa impedir a água de correr pelas calhas;

- Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira bem fechada. NÃO jogue lixo em terrenos baldios.

- Mantenha tonéis e barris de água bem tampados;

- Entregue seus pneus velhos ao serviço de limpeza urbana ou os armazene, sem água, em locais cobertos, abrigados da chuva.

Ações permanentes de prevenção da Prefeitura:

Durante todo o ano, por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Secretaria de Saúde e Higiene, trabalhos para a prevenção e combate ao mosquito Aedes aegypti acontecem em Ribeirão Pires. As equipes de agentes do CCZ montam e fiscalizam armadilhas espalhadas pelo município para verificar se há a presença de larvas do mosquito em alguma região da cidade.

Este tipo de fiscalização também é feita nos chamados “pontos estratégicos”, que são ferros-velhos e cemitério, entre outros, onde há acumulo de água em recipientes como pneus e vasos, condição e locais com grande potencial para a proliferação do mosquito transmissor da doença.

Os agentes também atendem a demandas onde há suspeita de focos do mosquito. Através do telefone 4824-3748, os moradores podem solicitar que agentes verifiquem residências e áreas onde possam haver focos do Aedes aegypti. Se constatado algum foco do mosquito, uma equipe de agentes realiza trabalho de orientação aos moradores da região onde foram encontradas larvas.

Campanhas e ações educativas também fazem parte das ações de combate ao mosquito, já que conscientizam moradores a não deixar água parada nos locais onde o mosquito se prolifera – pratos e vasos de plantas, caixas d`água, piscinas, pneus, tambores, bebedouros de animais, entre outros.