Ribeirão Pires lança “Operação Verão Seguro”


Criado em 03/12/2014

PPDC foi lançado nesta terça-feira na Câmara Municipal

A cidade de Ribeirão Pires lançou na tarde desta terça-feira a “Operação Verão Seguro”, Plano Preventivo de Defesa Civil – PPDC 2014/2015. O programa vai até 15 de abril e tem como objetivo redução de riscos e prevenir desastres relacionados às chuvas de verão, principalmente nas áreas mais vulneráveis do município.

O evento aconteceu na Câmara Municipal da cidade e contou com a presença de diversas autoridades, entre eles, a secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Sonia Garcia, representantes da Polícia Civil e Militar, do Jeep Club e integrantes dos Núcleos Comunitários de Proteção e Defesa Civil (NUPDECs).

O secretário adjunto e coordenador da Defesa Civil, Miguel Luis Filho, destacou a importância do envolvimento de toda sociedade para prevenção de ocorrências.

“Estamos trabalhando muito com treinamento e ações preventivas como vistorias e limpeza de galerias, vistorias e podas/cortes de árvores com riscos iminentes e até a reforma e adaptação de uma ambulância para auxiliar em casos de primeiros socorros. Esperamos que não sejam necessárias as ações de emergência, mas estamos preparados”, explica.

Durante o lançamento, a palestrante e agente da Defesa Civil, Dilza Leite Freire Miyamoto, destacou cuidados como cortes irregulares de barrancos, descarte de lixo, alerta para rachaduras em imóveis e movimentação de terra.

Atualmente a Defesa Civil conta com um efetivo de permanente de 30 pessoas, mas este número chega a 200 pessoas com os NUPDECs.

“Os registros em banco de dados apontam que o maior número de ocorrências, durante o período das chuvas de verão são de deslizamentos de talude. Há casos de enchentes e alagamentos que são atenuados com a limpeza e desassoreamento que é realizado pela Secretaria de Infraestrutura. Também existe o descarte correto do lixo - coleta domiciliar - pela Prefeitura e a reciclagem efetuada via Secretaria do Meio Ambiente”, explica Miguel.

Neste ano, a Defesa Civil adquiriu o mapeamento de áreas de risco de cidade junto com Plano Municipal de Redução de Riscos, realizada pelo IPT/SP (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), que permitiu identificar os 33 casos de maior risco da cidade, realizar serviços específicos de acompanhamento e de remoções.

Em abril, a Defesa Civil demoliu moradias no Morro do Careca e removeu as famílias das áreas consideradas como Risco Muito Alto pelo levantamento do IPT/SP. Essas famílias agora estão inscritas no programa estadual – auxílio aluguel. No final do ano passado, o prefeito sancionou a lei 5801/2013 – que implantou o programa Bolsa Aluguel Social. Programa que contempla as famílias devidamente inscritas no Minha Casa Minha Vida através da Secretaria de Assistência Social.

Foi adquirido também pela Defesa Civil um estudo municipal para identificar quais são as áreas de suscetibilidade (que identifica quais são as áreas em que nosso município pode crescer de forma segura). Este estudo foi realizado pelo CPRM / RJ (Companhia de Pesquisas de Recursos Minerais) e permite fiscalizar o crescimento seguro de nossa cidade.A Defesa Civil dispõe ainda de monitoramento através de pluviômetros do Cemaden. Ribeirão Pires conta com 14 estações de medição que foram instaladas nos seguintes bairros: Jardim Caçula, 4ª Divisão, Ouro Fino, Pilar Velho, Centro Alto, Colônia e Chácara Aliança, Santo Bertoldo, Jardim Sol Nascente, Jardim Ribeirão Pires, Parque Governador, Ouro Fino, Jardim Caçula e um último na sede da Defesa Civil no Centro Alto. São estações automáticas, semi-automáticas ou manuais.

Os dados vão direto para o monitoramento de chuvas em nível nacional. Se houver um alto índice de chuva, o Cemaden emite alerta para a Defesa Civil.

Os dados são enviados diariamente para a Defesa Civil do Estado. No período das chuvas a Defesa Civil fica em observação e monitoramento. Entra em estado de alerta se o nível de chuva de três dias passar dos 100mm.