Cidade reforça combate ao transmissor da dengue


Criado em 27/11/2014

Campanha é reforçada para prevenir também a doença Chikunguya, transmitida pelo mesmo mosquito

Até o próximo sábado (29), a Prefeitura de Ribeirão Pires reforça as ações de combate à dengue, na Semana de Mobilização contra a doença. Durante toda essa semana, agentes de controle de endemias da Secretaria de Saúde e Higiene orientam moradores e esclarecem dúvidas sobre a dengue e também sobre a Chikungunya em Unidades Básicas de Saúde da rede.

A febre Chikungunya é uma doença viral que possui sintomas parecidos com o da dengue. As dores nas articulações, porém, são mais intensas e persistentes. No Estado de São Paulo, há registros de alguns casos importados, ou seja, contraídos em outros países.

A equipe municipal de controle de vetores realiza durante essa semana ações educativas, com ênfase na eliminação dos criadouros do mosquito transmissor das duas doenças, o Aedes aegypti. O objetivo é prevenir que focos do mosquito aumentem no período de chuvas de verão.

Para encerrar a semana de mobilização, no sábado, dia 29, a equipe estará na Praça Central, das 9h às 16h, distribuindo folhetos sobre a doença, além de expor amostras do ciclo do mosquito – ovos, larvas, pupas e alados. Reclamações e denúncias de possíveis focos de infestação serão recebidas pelos profissionais no local.

Em 2014, não foram registrados casos positivos de dengue contraídos em Ribeirão Pires. Os 25 casos da doença registrados pelo município foram contraídos em outras cidades.

Ações permanentes de prevenção:

Durante todo o ano, por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Secretaria de Saúde e Higiene, trabalhos para a prevenção e combate ao mosquito Aedes aegypti acontecem em Ribeirão Pires. As equipes de agentes do CCZ montam e fiscalizam armadilhas espalhadas pelo município para verificar se há a presença de larvas do mosquito em alguma região da cidade.

Este tipo de fiscalização também é feita nos chamados “pontos estratégicos”, que são ferros-velhos e cemitério, entre outros, onde há acumulo de água em recipientes como pneus e vasos, condição e locais com grande potencial para a proliferação do mosquito transmissor da doença.

Os agentes também atendem a demandas onde há suspeita de focos do mosquito. Através do telefone 4824-3748, os moradores podem solicitar que agentes verifiquem residências e áreas onde possam haver focos do Aedes aegypti. Se constatado algum foco do mosquito, uma equipe de agentes realiza trabalho de orientação aos moradores da região onde foram encontradas larvas.

Campanhas e ações educativas também fazem parte das ações de combate ao mosquito, já que conscientizam moradores a não deixar água parada nos locais onde o mosquito se prolifera – pratos e vasos de plantas, caixas d`água, piscinas, pneus, tambores, bebedouros de animais, entre outros.