1º Festival do Cambuci reúne receitas variadas e cultura


Criado em 22/09/2014

No último fim de semana, dias 20 e 21 de setembro, a Praça Central da Estância Turística do ABC recebeu fãs da fruta, visitantes e artistas de diferentes estilos

De licor e cachaça até mousse e empadão salgado. A fruta que é matéria prima e destaque de uma sequência de festas por várias cidades de São Paulo, o cambuci, fez parte de uma série de receitas durante o 1º Festival do Cambuci de Ribeirão Pires, que aconteceu no último fim de semana (20 e 21 de setembro). Além da variedade gastronômica, o evento também trouxe atrações gratuitas ao palco da Praça Central da cidade.

Com estande especial da Estância, iguarias próprias foram apresentadas por cultivadores e produtores de Ribeirão Pires, como o quindim, o pão de mel e o pavê de cambuci. Trufas recheadas com a fruta, preparadas pelas Chocolateiras da cidade, também ganharam destaque. Além disso, fizeram parte da festa receitas diferenciadas como o empadão salgado, vários tipos de licores e cachaças envelhecidas, além de suspiros, balas, vinho, brigadeiro, bolo, geléia e outras delícias sempre levando o cambuci como ingrediente principal nas receitas.

Entre o público, a variedade de opções gastronômicas agradou. O casal Antonia Berbel Lopes Cuntiero e Francisco Cuntiero Filho gostou tanto da festa que estavam no sábado e voltaram no domingo. “Viemos com lista de compras. Nossa preferência é esse licor de cambuci, mas tem outras delícias como a própria fruta. Nós amamos cambuci e frequentamos as festas em outras cidades. Ribeirão Pires não perdeu para ninguém, a organização está de parabéns”, afirmou Antonia.

Participante da Rota do Cambuci desde abril deste ano, Ribeirão Pires pôde organizar pela primeira vez um Festival próprio, com direito a apresentações culturais com jazz, dança, música popular brasileira e ritmos diversificados. “Trabalhamos para estimular o desenvolvimento do turismo e da cultura em nossa cidade, ampliando características naturais da Estância para fomentar empreendedores. Ao participarmos da Rota e fazermos nosso próprio Festival, atraímos mais visitantes e criamos oportunidades para promover a cultura”, explicou o secretário de Cultura e Turismo, Cassiano Filho.

Os amigos Maciel Oliveira Azevedo e Edvaldo Vilas Boas curtiram a festa. Edvaldo é pai de um dos músicos, da dupla Pedro Vitor e Raí, e se mostrou orgulhoso em ver o filho tocando em um evento tão importante para a cidade. “Ribeirão Pires não para. Acabamos de sair do Festival do Chocolate e fomos surpreendidos com esta notícia de estar na Rota do Cambuci. Além de ser uma oportunidade de lazer para população, mostra que a cidade se destacando no turismo. Os shows estão ótimos”, disse Edvaldo.

Os visitantes de Mauá, Aline Pacheco da Silva e Olavo João da Silva Neto, trouxeram os três filhos, Mateus, Julia e Maria Eduarda, para aproveitar o Festival também. “Esta cidade sempre recepciona muito bem seus visitantes. Estamos gostando da festa e nossa sugestão é que tenham outras festas durante o ano”, comentou o casal.

Cardápio em braile promoveu inclusão

Elogiado entre os comerciantes, o cardápio em braile disponibilizado pela organização do 1º Festival do Cambuci de Ribeirão Pires ajudou no atendimento de deficientes visuais que passaram pela Praça Central nos dois dias de evento.

Segundo o produtor Rafael Hussta, de Mogi das Cruzes, o recurso aumenta a satisfação dos clientes. "É a primeira vez que uma cidade oferece para nós, expositores, um menu em braile. É uma proposta inovadora que ajuda a acolher todos os públicos, o que é nosso objetivo", afirmou Rafael.

Ribeirão Pires na Rota do Cambuci

A inserção de Ribeirão Pires a VI Rota do Cambuci foi possível graças à comprovação de cultivo da fruta na cidade. O produtor Adão Jimenez, que participou da primeira turma do Programa de Turismo Rural de Ribeirão Pires – curso promovido pela Prefeitura em parceria com o SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) – está ligado ao projeto, uma vez que sua propriedade é a principal produtora na cidade. “O curso nos propiciou o contato com outras pessoas e isso acrescenta ao trabalho de todos e ao município, que ganha profissionais melhor capacitados e integrados para o trabalho de turismo rural”, opinou Jimenez.