Secretária de Educação e Inclusão apresenta metas prioritárias para o primeiro ano


Criado em 13/02/2013

Leonice Moura identificou, em balanço inicial, problemas que deverão ser enfrentados pela nova gestão na Educação

Durante o primeiro mês da nova administração, Leonice Moura, vice ? prefeita e Secretária de Educação e Inclusão da Estância Turística de Ribeirão Pires, realizou análise da secretaria para identificar principais problemas que deverão ser enfrentados pela nova gestão. Visitar escolas e conversar com os profissionais que atuam na educação do município foram ações que deram base para a secretária criar as metas já para este ano.

"Este primeiro mês foi de muito trabalho, principalmente para análise da gestão anterior. Uma vez que assumimos o governo sem o período de transição, não tínhamos conhecimento dos projetos que estavam em desenvolvimento, processos financeiros, recurso humano, situação das escolas, ou seja, a realidade da Educação do município", explicou Leonice.

"Em primeiro lugar, encontrei a maioria dos profissionais da educação em férias. Corremos contra o tempo para verificar contratos vencidos e como foram realizados, dando prioridade aos processos de aquisição de uniformes, materiais escolares, merenda e transporte", conta a vice-prefeita e secretária de Educação.

Outro fator importante apontado por Leonice é a manutenção das escolas, incluindo o prédio do setor de abastecimento. "A situação do imóvel da merenda é o mais grave. Cerca de 90% das escolas estão com telhados quebrados, com goteiras, infiltrações, problemas na rede elétrica e outros problemas de infraestrutura. Nas unidades escolares que foram reformadas recentemente, foi necessário notificar a construtora para refazer as reformas ainda com garantia", relatou.

Creche

Para reduzir o déficit de vagas em creches, a secretária defende a construção do maior número de creches possível. "O maior problema que enfrentaremos é na educação infantil. Temos mais de 500 crianças com idade entre zero a três anos na fila de espera", disse a vice ? prefeita, que garantiu, já para o próximo semestre, inauguração de creche no Jardim Caçula. A partir de abril deverá ser iniciada, também, construção de outra unidade escolar.

Para o inicio do ano letivo, Leonice enfatizou que as demandas urgentes foram cumpridas. "Neste mês, fizemos uma força tarefa para o inicio das aulas. A merenda já foi distribuída, contratamos os professores aprovados no processo seletivo para assumir o cargo por um ano e os kits escolares e uniformes estão sendo adquiridos", explicou.

Em relação aos programas pedagógicos, a Secretaria de Educação e Inclusão já está trabalhando para oferecer qualidade de ensino aos alunos da rede municipal. "Para 2013, foi programado treinamento e capacitação dos professores, coordenadores e orientadores. A Secretaria pretende ampliar o currículo dos profissionais e oferecer aos alunos a disciplina de educação ambiental em todas as escolas. Na área de idiomas, haverá novo projeto na disciplina de Inglês através de treinamento dos professores, além de incluir no cursinho preparatório para o vestibular a disciplina", explica a vice-prefeita e a secretária.

Outro setor que será reestruturado é o Centro de Apoio. Segundo Leo, a equipe multidisciplinar atuará permanentemente nas escolas. "As crianças terão melhor tratamento ambulatorial em parceria com a APRAESPI, que é referência da Secretaria da Saúde de Ribeirão Pires, através do Sistema Único de Saúde (SUS) do Ministério da Saúde", explicou a secretária e vice-prefeita que ainda ressaltou: "A equipe pedagógica será formada por orientadores graduados em educação especializada, de acordo com a Legislação".

Para Leonice, a Inclusão é um direito de todos os alunos, não somente para crianças com deficiência. "A educação é constituída por diversidades, cada aluno tem sua individualidade e dificuldade. Considero que inclusão é um direito de todos, por isso, temos que oferecer o que cada aluno precisa. Não posso conceber um conceito de educação inclusiva quando os professores me apontam seus alunos dizendo que em sua turma escolar há 25 alunos, sendo três de inclusão. Este conceito já acusa um tipo de exclusão", ponderou.

Leonice se diz otimista, pede paciência e apoio da comunidade escolar. "Tenho comigo primeiro Deus, depois o prefeito Saulo que está apoiando todos os nossos trabalhos e um grupo de profissionais competentes que irão mostrar com resultados positivos para a melhoria da qualidade de ensino, mas para isso gostaria de contar com o apoio da comunidade e pedir paciência das famílias nestes primeiros meses", finaliza a vice-prefeita e secretária de Educação. (13/02/2013)