Trânsito realiza conscientização contra Aedes Aegypti


Criado em 02/03/2016

Com teatro interativo apresentado nas escolas municipais entre os dias 01 e 19 de março, agentes de trânsito preveem diminuição de focos de criadores no município

Com experiência em formar cidadãos conscientes, a equipe de Educação no Trânsito de Ribeirão Pires entrou na guerra contra o mosquito Aedes Aegypti, responsável pela transmissão de doenças como Dengue, Chikungunya e Zika. Entre os dias 01 e 19 de março, agentes estarão apresentando teatro interativo em algumas escolas municipais, focando a diminuição de criadores na cidade.

O projeto, que acontece em parceria com a Secretaria de Educação, Inclusão, Cultura e Tecnologia, começou nesta terça-feira (01 de março), na Escola Municipal Lavínia Figueiredo Arnoni. Durante a peça teatral, ações de trânsito e atitudes preventivas ao mosquito são tratadas de forma leve e lúdica, aproximando as crianças do conhecimento e os transformando em retransmissores.

“Realizamos diversas propostas, desde 2013, onde colocamos as crianças e os jovens como multiplicadores de conhecimento. Agora, na campanha contra a Dengue, Zika e Chikungunya, também podemos ajudar a transmitir o conhecimento e fazer com que as famílias estejam conscientes sobre a importância de nos protegermos”, afirmou o secretário de Transportes e Trânsito, Rubens de Almeida Sousa.

Prevenção

O Centro de Controle de Zoonoses alerta os munícipes sob a necessidade de minimizar a infestação no município e consequentemente, a transmissão de casos das três doenças, devendo ser adotados por todos os moradores. Solicitando que todos os moradores verifiquem suas residências (áreas externas e internas) com a eliminação de possíveis criadouros.

"A principal prevenção consiste em não deixar o mosquito nascer. Contamos com a colaboração dos moradores para evitar o acumulo de água em recipientes e também fazendo denúncias sobre possíveis focos do mosquito transmissor, para que nossos agentes possam verificar as informações", explicou o secretário de Saúde e Higiene da Estância, Gerson Constantino.

Através do telefone 4824-3748, os moradores podem solicitar que os profissionais verifiquem residências e áreas onde possa haver focos do Aedes aegypti. Se constatado algum foco do mosquito, uma equipe de agentes realiza trabalho de orientação aos moradores da região onde foram encontradas larvas.