Prefeitura congela dívidas e renegocia contratos


Criado em 30/01/2013

Medidas podem gerar economia de até 10% nos valores da dívida herdada da administração passada

A Prefeitura da Estância Turística de Ribeirão Pires vem realizando encontros com fornecedores que possuem contratos que vencem em fevereiro. Essas empresas aguardam pagamentos não efetuados desde o final do ano passado - deixados pela gestão passada. Como uma das medidas adotadas, foi definido o congelamento das dívidas herdadas e a renegociação de valores, que podem ser reduzidos. A decisão foi necessária para manter o fornecimento de insumos como fraldas, materiais de limpeza, sacos de lixo, combustível e outros itens que abastecem diversos departamentos municipais.

Com a negociação, os valores das dívidas deverão ser reduzidos em até 10%, dentro do parcelamento previsto para sanear as dívidas deixadas pela gestão passada. "A atual administração está operando em avaliação de contratos, oferecendo propostas de congelamento de dívida e negociação para pagamento, como determinou que fizéssemos o prefeito Saulo (Benevides)", afirmou o Secretário de Administração e Modernização, José Vicente de Abreu. "Além de colocar as contas em dia, a Prefeitura também avalia criteriosamente todos os contratos. Se constatados sinais de irregularidades, a administração encaminhará os documentos ao Ministério Público", completou.

A Prefeitura pretende uma redução de custos em até 30%, realizando essa avaliação. "Vamos honrar com os compromissos do passado, sem deixar de renegociar e economizar, para comprometer o mínimo possível nosso orçamento", explicou o prefeito Saulo Benevides.

Entre outras medidas também já adotadas para manter o equilíbrio nas contas, a Prefeitura decretou, no último dia 9, o congelamento de um quarto do orçamento deste ano. Algumas economias já estão sendo feitas, como por exemplo, imóveis locados, que estavam vazios, tiveram os contratos rescindidos. Outras dívidas também já foram negociadas, como a referente ao Instituto Municipal de Previdência de Ribeirão Pires ? R$ 7,4 milhões que não foram repassados pela gestão anterior ao instituto. (30/01/2013)