11º Passeio Inclusivo do Jeep Club de Ribeirão Pires reúne mais de 200 pessoas


Criado em 21/09/2015

Crianças, jovens, adultos e famílias participaram do evento beneficente, organizado por 140 jipeiros em parceria com a Prefeitura da Estância Turística


O último domingo (20) foi diferente para mais de 200 crianças, jovens e adultos deficientes. O Jeep Club de Ribeirão Pires, em parceria com a Prefeitura por meio da Secretaria de Política Comunitária e Institucional (SPCI), realizaram o 11º Passeio Inclusivo na Estância com os jipeiros de toda Grande ABC e baixada santista. As equipes de apoio conduziram os moradores acompanhados de familiares e amigos em trilha radical Off Road no bairro Quarta Divisão.


Os caminhos da cidade turística foram cenários do evento que contou com a participação de 140 jipeiros responsáveis a levar cada deficiente e familiar no passeio pelos 20 quilômetros percorridos em aproximadamente uma hora. Além dos deficientes da Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência de Ribeirão Pires (APRAESPI) e COPAR (Centro Ocupacional e Profissionalizante Adélia Redivo) estavam presentes deficiêntes de outros municípios.


Para muitos dos deficientes, o passeio foi mais uma opção de lazer. É o caso de Ana Rita de Oliveira e Benedito Bursi, moradores do bairro Santa Luzia, ambos deficientes visuais que participam do evento a mais de cinco anos. "É sempre um prazer participar deste evento maravilhoso. Reencontrar os amigos, todos os anos, e ter a possibilidade de encarar uma aventura radical pelas trilhas de Ribeirão Pires é incrível", contou Ana.


Diferente do casal, alguns dos participantes tem rotina distante do convívio social. Wellington Brito Gomes, de 19 anos, tem mobilidade reduzida e a mãe Luceneia Brito Gomes trouxe o filho pela primeira vez ao evento. “Ele ficou contando os dias. Faz muita diferença ações como essa”, declarou Luceneia. Cadeirante e com dificuldade de realizar as tarefas do dia a dia, Wellington ficou muito ansioso para participar do passeio.


Segundo o presidente do Jeep Club, Nelson Dias de Freitas, o evento é mais um dia de festa esperado por todos durante o ano. "Todos os anos é uma surpresa, neste veio o dobro de pessoas que esperávamos. Moradores de Rio Grande da Serra, Mauá, Santo André estiveram presente no evento. É muito gratificante ver que as pessoas gostam do nosso trabalho, fazemos tudo com coração, por isso a cada dia fica mais gostoso", declarou Freitas.


O ponto de encontro foi o Complexo Ayrton Senna onde os organizadores entregaram camisetas do evento e, com a parceria de companhias de ônibus como Rigras, Opinião e Torres, levaram os participantes ao Pilar Park, ponto de saída e chegada dos jipeiros.


Além do passeio inclusivo, espaço para socialização com brinquedos abertos ao público e música com a dupla Raul e Renan, de São Bernardo do Campo que animaram o público. Para fechar a tarde, o grupo Washi Taiko subiu ao palco finalizando a tarde de domingo com percussão japonesa.



Segurança


A Polícia Militar, equipe da Secretaria de Transportes e Trânsito e da Defesa Civil estiveram presentes para socorrer emergências e dar atendimento de primeiros socorros. A equipe da Secretaria de Política Comunitária e Institucional considera o passeio como exemplo de solidariedade. “Ações como essa, que envolvem dezenas de voluntários por uma causa tão nobre, nos motivam a continuar lutando pela igualdade e por mais momentos de alegria para as pessoas que mais precisam de apoio”, afirmou a secretária Aurélia Cristina.



Histórico do passeio


O evento acontece desde 2005, com inscrições abertas para cerca de 150 moradores deficientes por ano. O objetivo sempre é proporcionar um dia de aventura, fugindo da rotina e do dia a dia. Sem qualquer vínculo político, o Jeep Club e a SPCI promovem o passeio com dinheiro de patrocinadores e doações. O dinheiro que não é gasto no evento é transferido para instituições carentes e crianças que necessitam de auxílio. No ano de 2014, a renda que não foi gasta no evento foi utilizada para tratamento de problemas motores da pequena Isabele que necessitava realizar uma cirurgia emergencial no Chile. Através da campanha "Dê asas à Isabele" doações e a renda do evento ajudaram a pequena garota realizar a cirurgia.